segunda-feira, 21 de julho de 2008

Brancas Nuvens

"Quem conseguiu passar a vida em brancas nuvens? ...Enquanto não tivermos a consciência clara e indubitável da imperfeição humana, da inevitabilidade das perdas e dos sofrimentos, não poderemos ser felizes. Basear nossa felicidade em uma alegria permanente, em um mundo de rosas, na ausência de erros, injustiças e maldades, além de insensato, é um convite ao aborrecimento permanente. A pessoa feliz é aquela que consegue equilibrar as dualidades da existência. É aquela que sabe atravessar os momentos e os fatos negativos que ocorreram e ocorrerão durante a viagem humana. Aprende-se mais, na maioria das vezes, a partir do erros do que pelos acertos. Em muitos casos, a travessia é mais importante que o fim do caminho. ...Qualquer pessoa em qualquer fase da vida, pode se deprimir. A fórmula é bastante simples: É só listar tudo o que de ruim lhe ocorreu até hoje, achar um absurdo que isso tenha ocorrido e, a partir das lembranças pensadas e repensadas, sentir profunda pena de si mesmo e tentar, por meio de lamentações verbais e uma profunda angústia, a proteção e a compreensão das outras pessoas. Essa atitude nos paralisa e veta nosso crescimento como pessoas com alto astral e vontade de viver, apesar de tudo. ...A sociedade, obcecada pela falácia do sucesso, nos ensina cedo a nos tornarmos seres especiais. Cada pessoa, a seu jeito, se esforça para ser especial. Daí a resistência a aceitar as ações humanas, que são comuns a todos nós... ...O problema maior não é o sofrimento. O problema é tornar-se um sofredor. Toda decepção é fruto de uma expectativa irrealista sobre as situações e os indivíduos. Para diminuir ou acabar com as decepções, temos que diminuir ou eliminar nossas expectativas. Quanto menos esperarmos das pessoas e da vida, menos frustrados seremos.
A vida, embora limitada, é mais vasta que todo o nosso passado".
Claro que o texto acima não é de minha autoria. Ele está publicado na seção Bem Viver do EM (20/07) e é de autoria de Antônio Roberto. Engraçado como a vida é. Eu que tinha tanto preconceito em relação a ele, hoje me vejo republicando seus textos. A vida é uma ironia, basta-nos vivenciar situações contrárias à felicidade, que logo buscamos repostas para nosso sofrimento.
...e vamo que vamo.

2 comentários:

alegreto disse...

"Quanto menos esperarmos das pessoas e da vida, menos frustrados seremos."

A frase faz sentido, mas será que pode realmente ser levada ao pe da letra ? Vale a pena viver, sem esperar algo grandioso de alguem, ou da vida ? Eu acredito que nao...acredito que as emoçoes devem ser vividas intensamente, e a entrega faz parte do processo..Viver pela metade, que prazer existe nisso ? O sofrimento machuca, aperta o peito, nos faz sentir vontade de entregar os pontos e abandonar a vida...mas enquanto durou...ah, como foi bom!! Os dissabores existem, mas sao frutos de nossas proprias escolhas. Temos que amar muito sim, e esperar muito de quem amamos, e mais ainda, estarmos sempre dispostos a corresponder as expectativas de quem nos ama. Estou sofrendo agora, e muito. Mas olho pra tras e penso que cada segundo valeu a pena..E muito !!

Miguel Andrade disse...

Já me peguei pensando se não é culpa dos contos de fadas. Crescemos acreditando na perfeição humana e que à gente sempre muito má à espreita... Luto muito contra este pensamento Cinderela.