quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Pessoas e Nuvens

Existe gente que carrega no semblante, nos gestos e nas palavras um jeito de nuvem que chove na roseira de cada um de nós. Molham de afeto a nossa convivência. Parecem trazer sobre a cabeça um regador para banhar os amigos e semelhantes. Incitam o lado bom da vida, a criação, a amizade, o companheirismo. Essas são as pessoas que gosto de encontrar quando ando pelas ruas de nossa e outras cidades. É o tipo que ameniza o calor e nos protege do frio. Inteligentes e interessantes; logo, bonitas. Chegam e partem sorrindo. A simples presença contagia e o perfume fica quando se vão. Outros carregam tempestade e raios, trovões, reclamações e ódio. Gastam todo o seu tempo para maquinar maldades e desejar que o pior aconteça com os seus desafetos. São minorias, mas têm aptidão para enxergar, no mundo, o lixo, e na humanidade, um exército de adversários e inimigos que devem ser eliminados. Seria bom que só existisse gente chuva prazenteira, mas viver em sociedade é complexo e estamos expostos aos chatos e bruxos. São estações inevitáveis, a primavera que traz colheita de frutos e flores e o outono das desesperanças. Confesso que não consigo compreender a razão de alguém somente agir para prejudicar, torcer pela derrota e infelicidade, trabalhar pelo caos. Na cabeça desses, eu não entro e nem quero entrar. Tento evitá-los e me proteger de seus projetos de terremotos. Mas é necessário preservar nossas defesas para que não sejamos contaminados... ...Quem não se conforma com o sucesso de alguém, e reclama, odeia, xinga e vitupera, perdeu a chance de aproveitar o que a existência tem de bom. O mundo não caminha nem nunca caminhou de maneira justa, mas a vida, ah! a vida, é uma aventura deslumbrante que vale a pena ser degustada, em todos os sentidos. Meus olhos se concentram nesse território bendito habitado e irrigado pelos que amo. Têm textos que são primorosos, que exprimem bem o vida (que vivemos) como um todo. Ele é de Fernando Brant do Estado de Minas de hoje.

Um comentário:

alegreto disse...

Sempre achei que pessoas reclamonas são pessoas vazias.
Pessoas para as quais nada vale a pena, vivem em busca de algo que nem sequer sabem definir o que é.
Já convivi com pessoas assim, e posso afirmar que é lamentável..
No entanto, pude aprender algo com elas: o quantos somos bons em sermos diferentes!
Saber extrair o melhor de cada oportunidade que a vida nos dá, seja boa ou ruim, é uma dádiva que representa a chegada da maturidade.
É fato que bonzinho só se fode, mas ser bom é muito bom!!!